2 de jun de 2011

SANDÁLIAS DO EVANGELHO

Efésios 6 apresenta um texto muito conhecido da igreja militante. Fala de armadura: capacete, couraça, cinto espada, escudo e sandálias. Gostaria de refletir um pouco sobre o verso 15: "calçai os vossos pés com a preparação do evangelho da Paz."

Antes disso, quero contextualizar alguns fatos. 

Em sua terceira viagem missionária, Paulo retorna a Éfeso. Desta vez, para ficar cerca de três anos. Inicialmente havia deixado Priscila e Áquila responsáveis pela evangelização local. Ele encontra alguns judeus discípulos de João Batista, que sequer tinham ouvido falar do batismo com o Espírito Santo. Paulo passa alguns meses ensinando numa sinagoga e resolve ir para a escola de Tirano, onde falava do Jesus tanto a judeus quanto a gregos (Atos 19).









CARACTERÍSTICAS DE ÉFESO

Deusa Diana
  • Foi fundada 1.000 a.C.
  • Corresponde à atual região geográfica da Turquia.
  • Na época de Paulo era a cidade mais importante entre as províncias romanas da Ásia.
  • Situada perto do mar Egeu, era cruzada também por 2 estradas importantes: uma seguia a costa e a outra continuava para o interior, passando por Laodiceia - Éfeso era uma importante rota política e comercial para o Império Romano (acesso à Ásia e a Europa).
  • População estimada entre 250 mil a 500 mil pessoas (judeus da dispersão e gregos) - a maioria intelectualizada.
  • Religião politeísta. Divindade mais adorada era Diana, deusa da fertilidade na mitologia grega, cujo templo possuía 130 m de comprimento x 67m de largura. Foi construído 2 vezes, em mármore e pedras preciosas entregues por mulheres.
  • Berço de pensadores e filósofos como Thales de Mileto (pai da matemática, acreditava que a H2O é a origem de todas as coisas - "tudo flui"), Anaximandro e Heráclito (autor da escola "mobilista" - vida como fluxo constante, impulsionado pela luta de forças contrárias entre si - dele é a frase "ninguém se banha duas vezes no mesmo rio).
É para esse local que Deus manda Paulo e onde forma a primeira igreja da Ásia.


1ª IGREJA DA ÁSIA E SEU PASTOR - TIMÓTEO

Leia Atos 19 e perceba o impacto que o evangelho causou nessa cidade. Judeus e gregos se convertiam ao evangelho de Jesus. Fico imaginando como eram os cultos de libertação nessa época. Muitos poderiam achar que se tratava de lavagem cerebral: os convertidos queimavam livros de magia, feitiçaria entre outras ciências em praça pública. Os ourives locais, que faziam "suvenir" da deusa Diana para vender, estavam enlouquecidos, pois já não bastasse que a população local se convertesse, os povos vizinhos também ouviam a Verdade e eram libertos.  Onde Jesus entra é assim: tudo é novo, as coisas velhas ficam para atrás. Impressionante a importância desta igreja: além dos judeus, salvava também os gentios. 

Paulo consagra Timóteo, um jovem prosélito - filho de judia com gentio - a pastor desta igreja. Um desafio e tanto para alguém com tão pouca idade. Mas as escolhas de Deus não levam em conta a idade, intelecto, conta bancária, experiência ou status social: é ele quem capacita seus escolhidos.  Por conta disso, Paulo sempre exortava Timóteo a não esquecer dos seus deveres: 

  Não sejas negeligente com o dom que te foi concedido mediante profecia com imposição das mãos do presbitério. Medita nisso e seja diligente para que o teu progresso a todos  seja manifesto. Cuide de ti e da  doutrina. Continue com estes deveres porque fazendo assim salvarás  tanto a ti como  aos teus ouvintes. (ITim. 4:14-16)


POR QUE PAULO SE PREOCUPAVA?

O apóstolo Paulo permaneceu 3 anos em Éfeso e sabia que após a sua partida, muitos lobos em pele de cordeiro, pregariam um outro evangelho naquele local. Não era de admirar. Já não bastasse a ressurreição de Jesus para abalar o inferno, crescia uma igreja forte entre os gentios (Atos 20: 29-30). 

Além disso, havia ainda uma PAREDE DE SEPARAÇÃO, entre judeus e gentios. Efésios 2:14 fala sobre um grande número de judeus que, dispersos de Jerusalém, desde o exílio na Babilônia, haviam construído e edificado templos nas cidades mais importantes onde se estabeleceram e seguiam a lei de Moisés. Gente que não entendia a liberdade da graça e vivia cumprindo à risca todas as leis do velho testamento.  Não bastasse isso, seu sentimento religioso e moral era duramente agredido pelos costumes dos nicolaítas e por uma desenfreada libertinagem associada ao politeísmo - para eles, se era difícil reconhecer Jesus como Messias, imagine aceitar a   conversão de gentios ao seu Deus sem passar pelo cumprimento de todas as exigências do sacerdote: circuncisão, ofertas pela expiação, o dever de guardar o sábado etc.  

Paulo sabia que, mesmo convertidos, alguns judeus poderiam se considerar orgulhosos de sustentar uma doutrina que rebaixava tanto as classes mais educadas como o povo mais ignorante. Saber que gentios, outros povos, eram co-herdeiros da salvação era uma questão a ser tratada com muito cuidado para não gerar conflitos - brecha que Satanás usaria com muito prazer. 

Ciente da batalha espiritual a ser travada e vendo além,  apóstolo ORAVA DE JOELHOS pela igreja, para que:
  • Fosse uma só unidade, fortalecida no mesmo espírito, no amor e na paz de Cristo - pedra angular.
  • Os membros fossem humildes, mansos e suportassem uns aos outros em amor.
  • Houvesse um só corpo, um só espírito, uma só esperança e um só Senhor.
  • Ninguém voltasse ao velho homem, porque já tinham recebido o conhecimento.
Curiosa a semelhança com os dias de hoje. Não é mera coincidência! A guerra espiritual continuará para a igreja até o seu arrebatamento. E o objetivo do inferno não são as discussões de doutrina, divergências sobre louvor, coreografias ou cargos eclesiásticos. Isso é apenas parte da diversão dos demônios. Eles estão preocupados com 2 questões seríssimas: a pregação do evangelho da paz. Confira em Efésios 3:10 e veja qual era a missão da Igreja: tornar conhecida a sabedoria de Deus e o plano de salvação dos gentios - isso inclui eu e você, leitor. 


SANDÁLIAS DO EVANGELHO


Paz. Esse era o desejo do apóstolo. Um igreja revestida de uma armadura espiritual e disposta a pregar o evangelho da Paz, conciliando judeus e gentios. Sem força, violência física, moral ou psicológica, Paulo está dizendo que o evangelho não é da Igreja, mas do Maravilhoso, do Conselheiro, do Deus Forte, do Pai da Eternidade, do  Príncipe da Paz - Jesus. 

E para calçar sandálias, são necessários alguns itens:
  • pés: com funções importantes, firmeza e mobilidade, são feitos para suportar pressão e peso. 
  • humildade: para amarrar sapatos, normalmente nos abaixamos, ou seja, nos submetemos à vontade de Deus. 
  • paciência: sapatos e sandálias novas incomodam no início, causam calos. Precisamos de tempo entender que não adianta reclamar. Enquanto não usarmos o sapato, ele não se moldará nem poderá proteger nossos pés. 
Efésios 6 nos apresenta de forma dinâmica uma metáfora da batalha espiritual e da necessidade de uma armadura que protegesse a igreja. Curioso, que Paulo fala das sandálias do evangelho depois. Ele sabia que, para aguentar peso da armadura, era necessário estar de pé e preparado a lutar pela paz. 

Para finalizar, no velho testamento, quando Deus se revela por meio de uma sarça ardente, Ele pede à Moisés que tire as sandálias pois o local onde pisava era santo. E hoje, após ter cumprido todas as leis, inclusive, lavando os pés dos discípulos em ato de extrema humildade, o Ide de Jesus nos convida a calçar as sandálias. 

E aí? Você tá preparado para isso? 





29 de mar de 2011

PAUSA PARA CUIDAR DO MARIDO

Meu amado está com dengue.  Ficarei fora enquanto for necessário. Conto com as orações dos irmãos.

25 de mar de 2011

MOMENTO POESIA

TUAS MISERICÓRDIAS

Tuas misericórdias, Senhor, são a razão porque eu vivo.
Tuas misericórdias não têm fim.
Como explicar  a origem desse amor se a eternidade está em ti.
Antes do início de tudo, já me amavas e para ti o fim não existe, Senhor.
Esse amor me fortalece quando sou fraco,
Justifica-me quando, mesmo sem querer, faço o que não quero.
Transforma minhas vontades no teu querer.
Tua alegria invade a minha alma de um jeito insaciável.
E mesmo assim, às vezes, sinto-me tão fraco.
Então me lanço diante de ti: de joelhos ou em silêncio.
E teu Espírito vem confortar meu coração:
Eu sou contigo. Não temas. Crê somente, filho meu.
Eu estou no controle, porque Sou o controle.
Vejo o teu coração. Estou voando com você.
O vento não sabe para onde vai, mas eu sei onde você vai chegar.
Sinta o vento e brinque de voar nos meus braços. Dance como criança.
A ventania vai se tornar uma brisa leve.

Então me lanço diante de ti. Fecho os olhos e penso na tua misericórdia.
Eu não mereço tanto amor e ainda assim faz-me falar da tua graça.
Viver da graça.
Tuas misericórdias, Senhor, são a razão porque eu vivo.
Tuas misericórdias não têm fim.